Veterinários recomendam que você não tenha essas raças de cachorros. Saiba quais são! - Salve o Planeta

Veterinários recomendam que você não tenha essas raças de cachorros. Saiba quais são!

- agosto 16, 2018

Animais de raças, como a maioria dos cães, normalmente são criados por meio de um procedimento chamado “cruzamento seletivo”.

Neste, os criadores selecionam os atributos que querem que sejam evidenciados em um cão e o exploram de maneira acentuada entre os cruzamentos, muitas vezes endogâmicos (entre família).

Tal procedimento requer tempo e paciência, quase sempre resultando no sofrimento dos animais e desenvolvimento de defeitos congênitos, que são repassados aos descendentes. Logo, todas estas novas raças que conhecemos foram produtos deste tipo de exploração, que deu origem a animais com baixa variabilidade genética.

Este aprimoramento estético das raças puras fez com que estes animais desenvolvessem doenças que são passadas de forma permanente, que é o caso dos cães braquicefálicos.

Em um comunicado, a Associação Britânica de Veterinários (ABV) alertou as pessoas que evitassem adquirir filhotes de cães braquicefálicos, em uma tentativa de reduzir a demanda por este tipo de mercado. Eles revelaram que houve um aumento considerável na procura por este tipo de cães nos últimos três anos.



O que são cães braquicefálicos?

Tratam-se de raças de cachorros que possuem como característica principal o focinho curto e crânio compacto. Tais alterações, que foram aprimoradas durante 100 anos, levou à compressão do sistema respiratório.



Segundo o site VetQualit, os cachorros nestas condições apresentam a síndrome respiratória braquicefálica, caracterizada pela estenose das narinas (narinas muito estreitas) e palato mole. Cães como os bulldogs, por exemplo, sofrem a vida inteira com estreitamento da traqueia (hipoplasia traqueal) e, por causa desses problemas, diversas companhias aéreas já proibiram esses cães de viajarem com seus donos.



De acordo com a ABV, cães braquicefálicos entraram na “moda”, depois que celebridades passaram a ostentá-los em suas redes sociais. Segundo estatísticas do Voice of the Veterinary Profession, 49% das pessoas procuram estes animais porque são influenciadas pelas mídias sociais, ou por seus ídolos famosos (43%). Contudo, a maioria delas desconhece que esses cães crescem com diversos problemas de saúde, com muitos que sequer serão capazes de chegar a velhice. Ainda, estima-se que 56% desses cães necessitarão, ao longo da vida, de uma cirurgia urgente para restauração de estruturas do sistema respiratório.



As raças de cães braquicefálicos incluem: Pug, Buldogue Inglês, Buldogue Francês, Boston Terrier, Pequinês, Boxer, Dogue de Bordeaux, Cavalier King Charles Spaniel, ShihTzu, Affenpinscher, Cocker Spaniel Americano, Boston Terrier, Boxer, Brussels Griffon, Bullmastife, Cane Corso, Chihuahua, Chow Chow, Dogo Argentino, Toy Spaniel Inglês, Japanese Chin, Lhasa Apso, Mastife Napolitano, Terra Nova, Presa Canario, Shar Pei, Tibetan Spaniel e Valley Bulldog.



Dentre estes, os considerados em maiores riscos de desenvolver problemas respiratórios são: Buldogue Francês, Pug, Boston Terrier, Pequinês, Boxer, Buldogue Inglês, Shih Tzu, Dogue de Bordeaux.

[ Diário de Biologia ] [ Fotos: Reprodução / Diário de Biologia ]
Advertisement