Islândia acaba de matar uma baleia em vias de extinção - Salve o Planeta

Islândia acaba de matar uma baleia em vias de extinção

- julho 02, 2018




Alguns caçadores islandeses dirigiram um navio para o oceano, com o objetivo de arpoar e matar uma baleia. O seu alvo era uma baleia-comum de 20 metros, uma espécie em vias de extinção. A morte desta baleia marcou o início da primeira caça às baleias da Islândia, em três anos. Os defensores do bem-estar animal estão, compreensivelmente, insatisfeitos com o sucedido.

Facebook – Sea Shepherd UK

A Islândia é um dos poucos países do mundo que continua a caçar baleias, apesar da Comissão Internacional da Baleia (IWC) ter suspendido caça comercial em 1986. Não há um mercado forte para a carne de baleia na Islândia, o que leva muitos a se questionarem sobre o porquê de matar tantos animais.

“Poucos islandeses comem carne de baleia, embora a carne seja comercializada para os turistas.”, disse Kate O’Connell, consultora em fauna marinha do Animal Welfare Institute (AWI).

Como poucas pessoas comem baleias, a Islândia acaba exportando uma grande quantidade de carne de baleia para o Japão.

Kristján Loftsson, CEO da Hvalur, disse que espera usar carne de baleia, gordura e ossos para fazer gelatina, além de suplementos nutricionais e outros medicamentos. Essa notícia preocupa, especialmente os defensores do bem-estar animal.

“Se o sr. Loftsson for bem-sucedido em fazer o que alega estar começando a fazer, é um péssimo sinal para o futuro da caça às baleias.”, disse O’Connell.

O’Connell também explicou que a Hvalur abastece seus navios baleeiros com óleo das baleias que caça.

“Eles usam uma mistura de 70% de diesel, 30% de óleo de baleia, e há algo que eu acho repugnante nisso.”, disse O’Connell. “Eles estão basicamente usando as próprias baleias para sair e matar mais baleias. É chocante.”

Depois de mortas, as baleias são arrastadas de volta para a estação baleeira de Hvalfjörður, onde seus corpos são cortados. Voluntários da Sea Shepherd UK, um grupo de proteção de animais marinhos, estão lá para documentar as atividades baleeiras, postando fotos e vídeos na página da organização.

Arne Feuerhahn, fundador da Hard to Port, uma organização alemã de bem-estar animal que também documenta a caça à baleia na Islândia, observou que as baleias-comuns estão à beira da extinção.

“É simplesmente cruel!”, disse Feuerh. “Eles atiram um arpão explosivo de um navio em movimento para um animal em movimento, e não há como garantir que o animal morre rapidamente. Na maioria dos casos, é o oposto… O animal sofre por muito tempo.”

Apesar de tudo, as coisas estão mudando na Islândia, e os defensores do bem-estar animal esperam que a caça às baleias possa, eventualmente, acabar.

“Houve um protesto pouco antes de o arpão sair para começar a temporada de caça… onde 40 a 50 pessoas se reuniram em volta de um navio protestaram contra a caça.”, disse Feuerhahn. “Agora o povo islandês começa a levantar a voz, e é isso que fará a diferença no futuro”, acrescentou.

O’Connell também explicou que uma organização local, chamada Icelandic Whale Watching Association, tem conduzido uma campanha, chamada “Meet Us Don’t Eat Us”, que tem sido muito bem sucedida em mudar as percepções das pessoas.

“A quantidade de carne de baleia consumida pelos turistas caiu drasticamente.”, disse O’Connell. “Eu acho que realmente foi uma campanha bem sucedida. Quando começaram em 2009, cerca de 40% de todos os turistas na Islândia disseram que tentariam comer carne de baleia. Graças a uma campanha de educação pública, a percentagem está diminuindo.”

“O apoio público à caça comercial de baleias na Islândia está no seu ponto mais baixo de sempre.”, acrescentou O’Connell. “Há cerca de um terço do país que apoia a caça às baleias. No passado, era cerca de 60%.”

Esperemos que as mentalidades comessem a mudar, não só na Islândia, mas também em todo o mundo. Compartilhe essa história, se você é contra os abusos e os maus tratos a animais!

Fonte: The Dodo
Advertisement