Esta cadelinha foi doada pela Internet. Seu novo dono a maltratou até a morte - Salve o Planeta

Esta cadelinha foi doada pela Internet. Seu novo dono a maltratou até a morte

- abril 23, 2018



O maltrato animal é algo terrível, mas que infelizmente continua acontecendo todos os dias. Como aconteceu com Kiya, uma cadela de raça pitbull, que sofreu abusos por parte do polonês Radoslaw Czerkawski – sentenciado a cumprir 10 anos de prisão por conta da violência contra o animal.


No verão de 2013, nos Estados Unidos, um anúncio na Internet anunciava que a cachorrinha Kiya estava sendo oferecida para doação. Radoslaw foi um dos que se interessou em adotá-la, porém com um intuito muito distante daquele esperado por quem havia feito o anúncio

A cadelinha, de apenas um ano de idade, sofreu com abusos e agressões até o ponto de levá-la à morte, em um caso que ganhou repercussões públicas e terminou nas redes sociais. Muitos criticavam e condenavam o agressor, e um dos internautas foi enfático ao destacar a brutalidade que sofreu Kiya.


“Nunca me esquecerei da noite em que li os detalhes sobre o que ele havia feito. Isso vai me perseguir para sempre. Fui transformado. Me fez lutar muito mais pelos direitos animais, para que ela não tenha morrido em vão. Se fez muito pelos animais desde então, e temos que endurecer as penas contra esses malditos. Que sofram por uma longa vida”, escreveu o usuário no Facebook.

A cadela de um ano de idade foi encontrada abandonada em um parque de diversões, com o crânio, coluna e costelas quebradas por conta da brutalidade do homem. Kiya também teve uma ferida causada por uma faca no olho, e sua língua foi dividida no meio.

Hoje, cinco anos depois do crime, Radoslaw (que era um imigrante ilegal nos EUA) finalmente recebeu sua sentença: 10 anos de prisão, além de ser deportado.

A comoção por trás deste caso também é encontrada em como Radoslaw obteve o mascote. Muitos destacam o perigo que existe em doar animais de estimação através da Internet e não garantir que eles sejam entregues a pessoas responsáveis e, acima de tudo, nobres com os animais.
Esperamos que casos como este nunca mais voltem a acontecer.

Fonte:  Casos Interessantes
Advertisement